segunda-feira, 16 de outubro de 2017

Que inferno é este??

Não conseguimos ficar indeferentes a tamanha dor.
Deitada ao meu lado expliquei-lhe o que se estava a passar com o país, se é que eu sei explicar.
Não vou fazer julgamentos, nem dar opiniões apenas adormecer com o coração apertado com o desejo que chova muito e rapidamente, que as pessoas consigam encontrar alguma paz, alguma força em tamanho inferno!
Como ela me disse após a explicação:
"Mamã as pessoas más deviam ter um amor no coração como eu tenho no meu o teu e do papá"

Venha a chuva
Venha a Paz

sábado, 7 de outubro de 2017

De coração cheio

Hoje deitamo-nos de coração cheio.
Tivemos um almoço de família, e estar com todos os primos e tios (faltou apenas 1 primo e 1 tia) soube maravilhosamente bem!
O local foi perfeito, um piquenique no Parque de Montachique, onde houve direito a correrias, jogos, e uma primeira aventura no mega slide, foi sem medos e acreditem não era nada baixinho, houve um primo já adulto que desistiu, por isso imaginem a altura, ficou tão radiante com a experiência que repetiu a dose, tenho uma filha radical :)
Neste parque tudo é perfeito e a equipa da Azimute é fantástica!
Sujou-se como nunca tinha acontecido em 5 anos, vinha feliz, radiante com o dia, não se calou um minuto até adormecer, e nós de coração cheio por conseguirmos proporcionar estes momentos.
Veio desta forma mas cheia de orgulho de cada ponto de pó que trazia agarrada a si...



sexta-feira, 6 de outubro de 2017

CA Chocolate Azul -a nossa loja de eleição

Andamos fartas deste tempo, por aqui a roupa de verão já começa a chatear, ela quer vestir a roupa nova que tem no roupeiro e os sapatos novos,  mas este calor ainda não deixa e eu como ela está aempre a crescer ainda não fui comprar as peças chaves para a nova estação mas tenho que ir porque não tarda está tudo esgotado!
Fizemos uma escolha das peças desta nova estação que adorámos numa loja que é a minha preferida, gosto do atendimento, da ternura da roupa e principalmente da qualidade! Tudo nesta Loja é perfeito! 

Inspirem-se e não se percam como eu...

As fotografias são da página que podem espreitar Aqui













segunda-feira, 2 de outubro de 2017

Faz algo por ti

Bem vindo Outubro!

Este é um dos meses que mais gosto, é o meu mês!

É um mês de mudanças, as folhas caem o tempo muda...é a altura para pensar no que estamos a fazer...

Olharmos para nós e fazermos algo por nós, pelo Mundo...

Chegou a altura de fazeres algo por ti, com dedicação e intenção, com carinho e  amor, sem esperares  nada em troca.

Chegou a altura de acordares com um sorriso, dares um sorriso, estenderes a mão, e  no final de cada dia vais sentir a recompensa dentro de ti.

Chegou a altura de parares de correr, abranda, a vida é curta não estás numa competição, nem nunca deverias ter estado, esquece o relógio, junta os amigos e a família e partilha o teu tempo, o teu sorriso, a tua alma!

Chegou a altura de partilhar juntos conseguiremos alcançar mais, porque a vida só tem sentido quando estamos juntos.

Vivemos todos no mesmo planeta, e aqui somos todos iguais, independentemente da tua conta bancária, do teu cargo profissional, baixa a cabeça, porque aqui funcionamos todos para o mesmo fim, na busca da felicidade, da saúde e do amor...

Neste planeta aparecemos sem nada e vamos sem nada!

Não somos donos de nada, pratica o bem, vive em Paz e serás Feliz!

Eu e tu sem filtros neste Mundo veloz, mas na nossa velocidade... Manhãs feitas com calma que nos dão estes sorrisos logo de manhã e que guardamos para suportar o dia até ao regresso do nosso abraço!









domingo, 1 de outubro de 2017

Vou ser Bailarina!

Cada vez mais menina, mais vaidosa, todos os dias tem que ir de vestido ou saia, os sapatos têm que ser de casamentos :) (confesso que a maioria dos dias respiro até 100 porque nada é como ela sonhou que ia ser nesse dia, e tudo o que escolho para vestir e calçar tem que ser alterado sendo que os sapatos têm que ser sempre os mesmos)


Há um dia que tem que ir com o equipamento de ginástica do colégio que não é cor-de-rosa como imaginam e esse é o dia mais infeliz para ela (se todos os dias infelizes dela forem sempre por estes motivos fico mesmo feliz).


Este ano finalmente vai para o Ballet pede isto desde os seus 3 anos, primeiro achamos que era moda e não quisemos inscrevê-la, o ano passado ponderamos mas como já andava na natação não quisemos coloca-la em mais nenhuma atividade, este ano não escapamos pediu-nos vezes sem conta argumentou com tudo o que conseguiu e convenceu-nos.


Um destes dias fomos os dois e compramos o equipamento todo que a professora solicitou embrulhamos e fizemos-lhe uma surpresa, os olhos dela brilharam, estava tão feliz, vestiu-se e dançou sem parar e nós ficamos apenas a observar toda aquela felicidade.
 
Diz que vai ser Bailarina vezes sem conta... Se essa for a tua vontade que assim seja!
 
Aproveitamos e tiramos umas fotografias deste momento tão bom na vida dela.

No fim do dia disse-nos ainda com aquele sorriso "Veem o Mundo pode ser sempre todo o cor de rosa é muito mais bonito"


Sim pode cabe a cada um de nós fazer isso!!
 
 



 



sexta-feira, 15 de setembro de 2017

Uma semana de colégio e férias... Querias minha rica filha!! Nós vamos namorar!

A primeira semana de colégio foi um sucesso, esta miúda está mesmo crescida!!

Continua muito entusiasmada com o ensino e a adorar tudo, diz que a Professora é muito querida e ontem ao jantar saiu-se com esta: "Só podia mãe tem o meu nome eu também sou mesmo querida" ( já diz o ditado "presunção em água benta cada um toma a que quer" ) mas por acaso és muito querida! ( sim sou uma mãe babada )

Assim que percebeu que hoje era sexta-feira iniciou a conversa das férias, digamos que, um fim de semana fora de casa para ela significa estar de férias e dois dias passam a ser duas semanas...ehehe!( Inocência infantil )

Os avós na verdade contam os minutos para estar com ela, não lhe disse nem que sim nem que não, e hoje assim que fiquei sozinha combinei tudo com a minha mãe, pedi para eles virem buscá-la e passar lá o fim de semana, e claro os meus pais aceitaram logo, ainda passaram aqui em casa depois do colégio, vinha feliz da vida buscar apenas o saco da roupa, nem queria entrar dentro de casa, no entanto disse-lhe para ligar ao pai que ainda estava  a trabalhar para pedir autorização ( não é necessário mas eu gosto que o faça), assim fez e o pai deixou!

Nós adoramos a nossa filha mais que todo o universos junto, sentimos a falta dela, no entanto necessitamos também destes momentos, aliás todos os casais se tiverem essa oportunidade deviam fazê-lo (1 vez por mês).

Sabemos que estás bem e muito feliz, e por isso nós vamos fazer o relógio andar devagar e tranquilamente vamos aproveitar este tempo a dois...💛
 
 
 ( Fomos a Paris ainda não existia Be e voltavamos para namorar sem hesitar )
 



 


 

quinta-feira, 14 de setembro de 2017

(In) Fertilidade -Acreditar muito!




No outro dia conheci através de uma amiga esta página, ser Mãe é um sonho de muitas mulheres, umas conseguem realizar este sonho com uma perna às costas outras não conseguem e outras conseguem mas de um modo mais perneta.
 
Não vou falar muito sobre este tema até porque tenho um texto da autora da página para partilhar convosco podemos não ser muitos por aqui, mas os que somos já dão voz a este tema que tanto precisa, é um assunto sério, um assunto que não devia ter filas de espera ou listas, não devia custar um cêntimo a nenhuma Mãe nem nenhum Pai...
 
Leiam com atenção com carinho hoje podemos ter filhos e até nem nos custou nada foi quando queríamos, amanhã não sabemos, vão conhecer a página e coloquem gosto para que este tema ganhe voz, ganhe vida!

 
Obrigada de coração

"A cegonha é um pássaro grande e desengonçado. Lembra-me ideais de liberdade, de imprevisibilidade, de “quando tiver de ser”. São migrantes. Nem sempre estão onde gostaríamos que estivessem. Criei a página da cegonha perneta como projecto-embrião que pretende dar voz à (in)fertilidade e a todos aqueles, que como nós, só repararam em pleno voo que a sua cegonha trazia um embrulho cheio de paciência.

A infertilidade bateu-nos à porta e foi entrando de forma sorrateira. Não nos apercebemos logo que ela estava ali e que já se tinha acomodado.

Para uma grande percentagem das mulheres a maternidade é um projecto de vida. Por ser um projecto tão querido, não houve ano em que não questionasse em silêncio “Poderei eu ter filhos?” Tinha medo da resposta. Diagnosticaram-me ovários poliquísticos aos 15 anos. Quis saber se influenciariam os meus planos. As respostas sempre foram vagas. Pesquisei, falei com amigos médicos, cresci e conheci amigas, com o mesmo problema, que engravidaram rapidamente. Fui relaxando e decidi deixar o universo trabalhar. Esse universo que é perito em dar-me lições, mas lições cheias de oportunidade e sabedoria.

Casei. E com um casamento feliz veio a vontade de sermos pais. Exames de rotina, pílula no lixo e que comece a viagem. Passou um mês, dois, três e todos traziam a desilusão do negativo. Ao final de um ano decidimos investigar. A minha situação dificultava a concepção natural mas à partida não a impedia e antes de avançarmos para tratamentos ou exames mais invasivos, investigamos o meu marido. Oligozoospermia severa e Teratozoospermia moderada. OligoTerato…quê?? O telefone tocou e com ele a notícia de que havia um quadro de infertilidade masculina. Poucos espermatozóides e 0% de capacidade de progressão rápida. De imediato indicaram-nos para ICSI (micro-injecção inter-citoplasmática). Pedimos várias opiniões a especialistas. Avaliamos os tempos de espera no Serviço Nacional de Saúde, para um primeiro tratamento, se tudo corresse bem, teríamos de aguardar sensivelmente 1 ano. 1 ano numa luta a braço de ferro com a idade. Ainda somos novos e classificados com um Bom grande no mundo da Fertilização in Vitro, mas sabemos que o tempo é rei e senhor e que a fertilidade da mulher entra numa curva grave e decrescente após os 35. Pusemos as cartas em cima da mesa. Fizemos contas. Definimos prioridades. Adiamos viagens, jantares e evoluções na carreira e decidimos avançar para o privado.

Desde então não há dia que não pense na sorte que temos por podermos pagar, um tratamento que seja, no privado. Os valores andam entre os 4000€ e 5000€ por um tratamento que pode não dar certo.

Dizia-me o Professor que dirige a clínica onde estamos a ser acompanhados: "Os tratamentos para a infertilidade são praticamente indolores. Só custa do pescoço para cima."

Só custa do pescoço para cima e tanto que custa. E quanto custará a um casal que não pode recorrer ao privado? Quanto custará a um casal que vai riscando as oportunidades do SNS porque não deram certo e porque há limite para o número de tratamentos? Quanto custará a quem recorreu ao público, investiu tudo o que tinha e viu-se sem dinheiro e sem esperança?

Para um casal que lida com a infertilidade, a vida tem tendência a fragmentar-se em duas partes. A parte do mês que aguarda a ovulação após o início do ciclo e regra geral, os 14 dias seguintes e que antecedem o teste de gravidez em busca de um milagroso positivo.

Quando o caminho são a Procriação Medicamente Assistida, rapidamente se aprende e domina todas as siglas, as IIU (inseminação intra-uterina), as FIV (fertilização in vitro), as ICSI (micro-injecção intra-citoplasmática), as TEC (transferência de embrião congelado) e se entra num labirinto em busca do ansiado positivo que se transforme numa gravidez a termo.
É difícil "viver vivendo" ao invés de "viver esperando".
A produtividade no trabalho cai e sobem os níveis de ansiedade, as crises de irritabilidade e muitas vezes a desilusão.

Falamos de um caso de saúde pública sob o olhar da Organização Mundial de Saúde. Falamos de 10 a 15% da população Portuguesa em idade reprodutiva que de forma natural não consegue conceber um filho. Falamos de um país envelhecido. Falamos de uma doença que luta a braço de ferro contra a idade. Falamos de uma grande franja da população que não conseguirá recorrer ao privado. Falamos de famílias esgotadas financeira e sobretudo emocionalmente.

É importante estarmos conscientes e fazermos o que estiver ao nosso alcance em direcção à mudança.

O tema é controverso e muitas vezes gera sentimentos de vergonha O assunto não tem de ser tabu. Calar não o faz desaparecer. Considero que o primeiro passo é aceitar e depois acreditar. Acreditar muito!"



Imagem da página Cegonha Perneta